domingo, 26 de maio de 2013

este é o livro de nossos dias ~ este é o dia de nossos amores

li sobre você dia desses. mas pode ficar tranquilo, não o procurei em redes sociais nem pedi a ninguém que te investigasse e me informasse sobre sua vida, suas rotinas e seus amores. disso eu não sei há muito tempo. mas leio sobre você o tempo todo. em livros e crônicas sobre o amor. sobre o fim do amor. sobre o depois do fim do amor.

você continua, depois de tantos anos, sendo o personagem principal de todos os romances que eu leio. não importa se o amor é bom ou ruim, se existe cumplicidade ou não, se o fim foi amargo ou não. eu continuo associando os homens românticos, os homens sacanas, os homens safados das minhas leituras à sua imagem. talvez por eu não conseguir mais lembrar como você era. é uma falha minha, eu sei. como esquecer de quem foi e, vai saber, ainda é tão importante na minha vida?

mas não lembro. não lembro do cheiro, dos gestos, dos carinhos ou das mentiras. não lembro do olhar, das palavras, do sexo e do abraço. e então, quando eu leio um livro qualquer, que fale de um amor qualquer, é você que eu imagino. imagino a personagem do livro sofrendo por você. imagino ela amando você. imagino os beijos, os carinhos, os dramas, todos com você. o engraçado é que ela continua sendo a personagem, em momento algum eu me transporto para dentro do livro para viver aquela história com você. talvez isso seja uma transcrição da realidade que vivemos.

uma história da qual eu não fiz parte. uma história na qual eu criei uma personagem, inventei uma fantasia e deixei que ela vivesse aquele amor com você. fiz com que ela te amasse, te venerasse, te iludisse. e quando eu cansei daquela personagem, quando eu achei que o livro estava ficando longo demais, cansativo demais, dramático demais para que eu continuasse dando vida àquela personagem, eu dei fim. eu matei a personagem e te mostrei a verdadeira eu. a pessoa sem amor, sem escrúpulos, sem sentido e sem sentimento. que fugiu de você e da nossa história para criar novas histórias e novas personagens.

a pessoa que gosta de viver histórias para agradar aos outros. uma autora da vida real. e por isso, em todos os livros de amor que eu leio, eu te coloco no papel principal. pra tentar resgatar um sentimento que eu nunca saberei dizer se foi real, se existiu ou se ainda existe. porque a história que eu inventei pra nós dois foi a mais verdadeira de todas as que eu inventei para outros homens. e para mim mesma.

isso é o que eu nunca quis admitir para você e nem para mim: você foi a minha melhor história. mas mesmo as melhores histórias um dia chegam ao fim.

nem sempre o final é feliz.

Um comentário:

Jeronymo Artur disse...

é por isso que eu digo: a gente não vira a página, acaba um livro e começa outro. e nos tornamos outra personagem. :)