quarta-feira, 4 de março de 2009

Saudando a saudade

Eu estou com saudades de você.

É meio complicado até de explicar, porque no duro, não existe motivo para essa saudade. Nós estamos sempre perto um do outro, e a todo momento eu consigo lembrar de você, de algo que você disse ou fez que tem a ver com determinada situação que eu vivo. Toda hora que acontece alguma coisa de engraçada ou estranha na minha vida, eu logo penso "preciso contar", e é pra você que eu preciso contar. Porque eu sei que você vai escutar atentamente como você sempre faz, e vai rir e dizer o que você acha.

Isso não impede que eu não tenha saudades de você, de como você era, de como nós éramos.

Mas é uma bobagem, não? Sentir saudade de alguém que está tão perto, mas que bosta, ao mesmo tempo tão longe. Não sei dizer porque você se distancia tanto de mim. Ou melhor, não sei dizer porque eu me distancio tanto de você.

Era engraçado no começo, quando você me contava histórias, e, sei lá, parece que tinha vergonha de me dizer que já houve outras em sua vida. Não tem porque se envergonhar, já tive outros em minha vida também. Claro que, sem brincadeira, nenhum foi nem ao menos parecido com o que eu tenho com você. É uma cumplicidade, que talvez só exista na minha cabeça. Não fosse isso, eu não teria saudade.

Às vezes quando a saudade aperta que chega a doer fisicamente, eu me pergunto: será que você também sente essa saudade? Será que você também passa por alguma coisa, ou vê alguma coisa e logo lembra "preciso contar isso pra ela"? Será que algum dia você acordou e pensou que talvez seria um bom dia, só porque a gente ia se falar e... se falar?

É uma bobagem, infinita, toda essa saudade que eu sinto de você. Nem tem porque, você está por perto sempre, mesmo que eu não queira, a todo momento sua ausência se faz presente. O que é engraçado, porque eu tenho uma leve certeza que você nem sonha com isso. Mesmo com alguns sinais imperceptíveis que por vezes eu capto por aí. Mas são sinais, sinais que uma mente enfeitiçada, abobalhada, perdida... só a minha mente perdida percebe isso.

Mas é um fato, que eu gostaria que você soubesse. Eu sinto uma saudade muito grande de você. Ouvir o seu nome já deixa o meu dia mais feliz.

Queria que para você fosse assim também. Mas eu me sinto bem em fazer parte, de alguma forma, da sua vida. Você já faz parte para sempre da minha. Até mesmo na saudade que não finda...

28 comentários:

koster disse...

Da série "Casos Amorosos de Ana". "Com certeza você tem um coração pulsando um sangue enfeitiçado pelo cupido" (paguei R$1,20 uma vez por curiosidade para uma maquina que lia a mão no shopping para ler esta bos*a).

Opa, é para comentar de você neh? XD

Então...
Emocionante esses posts amorosos que a gente lê e se cria até mesmo um ritmo de leitura, é como ouvir você falando, mesmo nunca tendo ouvido você falar.

Perdido disse...

Mas... mas... ele não acabou de te ligar?

R.C, 25 anos, jornalista disse...

lindo sentir essa saudade de alguém...
mas... mas... palgio a perguntinha do perdido...
ele naõ acabou de ligar???
beijos

Andarilho disse...

Não sei se é só o efeito do álcool, mas li o seu texto e chorei.

Espero que vc diga isso pra quem quer dizer, e não deixe apenas no blog.

November disse...

Juro que acabei de ler o que eu estava tentando definir faz uns dias..
Querer saber se tem saudades..se pensa em mim, se sente a falta que eu sinto...

Espero que a saudade passe..ou que deixe de ser saudade...(ou que simplesmente se sobreviva..)

Ana P. disse...

Eu nem iria responder... mas eu amo vocês, bora:

Koster: é melhor só imaginar eu falando essas coisas, pq... minha voz é péssima e eu tenho a língua presa.

Perdido e R.C.: não é dele que eu estou com saudades. Mal o conheço. É outro. Enfim... velho conhecido.

Andarilho: talvez seja só o efeito do álcool, talvez seja o efeito do álcool misturado com a saudade que vc sente de alguém. E pode ficar tranquilo, eu nunca vou dizer isso pra quem eu queria dizer. Tudo é tão complicado.

November: sobreviver. Eu já tô acostumada a sobreviver às saudades... Deixo pra lá, né. Eu aguento!

Sirlene disse...

Sentir saudades,é quqse proibido na nova ética de relacionamentos abertos.
As pessoas apenas,se deleitam umas das outras e simplesmente esquecem do toque,beijo e até da presença da outra pessoa.
Isso me deixa triste e ao mesmo tempo estupefata.
Por que,afinal existe essa barreira/dificuldade de mostrar que sente saudades de alguém?

Maha disse...

Eita!!!

Vou roubar a idéia da Sirlene, realmente estamos tão acostumados ou nos acostumando aos relacionamentos voláteis que esquecemos que simples a presença da pessoa que gostamos nos dá um prazer enorme...

Dica do Maha: se puder falar o que sente pra essa pessoa, simplifique e descomplique.

Eita filosofei pacas agora... hahahhahaha

FELIZ DIA DAS MULHERES!!!

bjss

Ana P. disse...

Si: se eu sentisse saudades de alguém com quem eu efetivamente tenho um relacionamento amoroso, eu não teria vergonha nenhuma de demonstrar. Acho lindo, e falo sem medo de ser feliz, quando sinto saudades de alguém. Mas essa saudade é diferente. É daquele que nem sabe. Ou se sabe, finge que nem sabe. Cê tá ligada como é...

Maha: queria, mas não posso. Ou talvez eu nem queria. Eu sofro de amores platônicos impossíveis. E a saudade é como um prêmio de consolação de um sentimento que eu sei nunca ser correspondido. Porque talvez ele nem exista.

Não dá pra descomplicar. Eu sou a complicação em pessoa!

"o mundo anda tão complicado
que hoje eu quero fazer tudo por você..."

neutron disse...

Eu também sinto saudades de você.

Márci disse...

Geeeeeeemte eu tô bege com esse coment anônimo.

But...anyway...Saudade palavra triste...quando se perde um grande amor...

Grande amor de c* eh rola....

Eu tenho saudade da minha familia e dos meus amigos...E da minha cama....do meu carro...da cerveja....enfim.

Ana P. disse...

Neutron: eu sinto mais que saudade de você. Não saia da minha vida nunca, please!

Anônimo: é por essas e outras que eu detesto comentário anônimo. Mas sou democrática, e se você não quer me dizer quem é você, me dou o direito de não responder sua pergunta. CHUPA ESSA MANGA!!! ahuahuahuahuahuahuahuahuahuahua!!!

Má: euuuuu morroooooo de saudades de você toda vez que você viaja, sabia??? Mesmo sabendo que você volta em breve... Sabendo a data e a hora que eu vou te ver again... mas eu morro!

A saudade, gente... é algo inexplicável. Sentir saudade de quem tá do teu lado, o tempo todo, é algo bizarro. Mas é o que eu sinto.

Ana P. disse...

Anônimo: contanto que você se sinta feliz com essa ideia, pode considerar! Tanto eu quanto ele sabemos a verdade. Eu acho... sabe?

jujudeblu disse...

Não li o post. Só passei aqui pra dizer... CARÁLEO!!!

hahaahhahahahahaha

Inté minhã!

Márci disse...

Nooooouussaaaaaaaaaaaaaa !

Ana P. disse...

Juju e Má: peguem essa daqui...

Anônimo: ele sabe, sempre que eu falo com ele a gente fala desse negócio de saudades e pans. E claro, matamos as saudades de vez em quando. Ninguém é de ferro, né? BeijoMeLiga!

Andarilho disse...

Comentário nada a ver com o post: Eu achava que esse 'BeijoMeLiga' era só internetês, mas hoje eu ouvi uma guria falando isso.

Fiquei pasmo! Hauhauauh

neutron disse...

Ow, Anônimo, me descola um caramelo e um quindim pra viagem, por favor!

Ah, o quindim tem que ser feito artesanalmente. Com ovos de patas chocas tibetanas. Não são muito fáceis de achar, eu sei... mas você não tem muito o que fazer mesmo, tá com tempo de sobra.

Um beijo na patroa e aquele abraço nas crianças!

Ana P. disse...

Andarilho: cê num dorme, xuxu??? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHHA!!!

Neutron: o meu amor SEMPRE SABE como me fazer rir! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAA!

Andarilho disse...

Sábado a noite não é pra dormir. É pra ficar na balada, bebendo e paquerando.

Ou se você for como eu, escrevendo posts e comentários, hauhauahau

Ana P. disse...

Andarilho, nossa diferença é que eu, PELO MENOS, estou bebendo. Sete latas de cerveja e nem sinto nada de efeitos de álcool. Vou apelar pro whisky.

Andarilho disse...

Uma garrafa de vodka me aguarda, mas eu não consigo escrever direito bêbado, por isso ela vai esperar eu terminar um post, hauhauhauh.

Pamela disse...

[Mas essa saudade é diferente. É daquele que nem sabe. Ou se sabe, finge que nem sabe. Cê tá ligada como é...]



essa doença contagiosa filha da putaaaaaaaaaaa!!! =~

neutron disse...

Anônimo, meu querido, a reforma ortográfica do seu mundo foi mais além, né? Porque, vamos lá, aprenda com Tio Neutron:

Pelo = 'por' + 'o'. Então, me diz aê, de onde você tirou "pelo o que eu saiba..."???

No mais, me apresenta a noiva desse tal de Caramelo, Chocolate, Biscoito, whatever. É pegável? Tô na parada, hein. Conselho de amigo: aliança não impede muita coisa...

Aquele abraço!

Ana P. disse...

Seguinte, já deu: acabando com a graça de anônimos e afins. Eu não sei nem pq fiquei dando trela pra essa conversinha.

Sua revoltinha, senhor anônimo, só serviu para me confirmar uma coisa, e para que eu tirasse a possibilidade de comentários anônimos do blogue.

Quer continuar brincando de gato e rato? Meu email está publicado no perfil, tem o meu twitter, tem o orkut, tem o CARALHO A QUATRO. Mas eu aconselho você a, se não quer se machucar [e vc deve saber MELHOR DO QUE NINGUÉM que eu sei mto bem fazer isso], fica longe de mim.

E eu continuarei para sempre longe de você.

FIM.

Ana P. disse...

Ah sim... como eu sei que você virá buscar uma resposta, só mais uma coisa: você JÁ TEVE sua chance de destratar meus amigos.

Hoje em dia você não tem mais essa chance, e MENOS AINDA o direito.

Então, não me rebaixarei a esse seu linguajar chulo e indelicado, não mandarei nem você nem seus amigos se fuderem. Direi apenas que tenho pena de você. Porque meus amigos, Neutron em especial, recebe amor, carinho e afeto que você provavelmente nunca conhecerá na vida.

Nem nunca conheceu.

Vans disse...

CHUPA QUE É DE UVA!!

Odeio pessoas sem personalidade.
Odeio pessoas que não sabem escrever.
Mas amo meus amigos.

E, se a minh amiga Ana não desce no seu nível, eu desço, VAI TOMAR NO CÚ, você que sequer fala quem é.

E tenho dito!

Vans disse...

CHUPA QUE É DE UVA!!

Odeio pessoas sem personalidade.
Odeio pessoas que não sabem escrever.
Mas amo meus amigos.

E, se a minh amiga Ana não desce no seu nível, eu desço, VAI TOMAR NO CÚ, você que sequer fala quem é.

E tenho dito!