quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Adiós.

Eu poderia escrever sobre a minha mediocridade, sobre como eu mudo de ideia como quem muda de roupa, poderia reclamar absurdos sobre X coisas da minha vida que não estão no lugar certo.

Eu poderia desabafar as coisas que não consigo mais com os amigos [talvez por achar que os amigos não queiram ouvir o que eu tenho pra falar, ou por achar que eles vão falar coisas que eu não quero ouvir].

Poderia dizer que talvez eu esteja esperando demais de 2010, mesmo sabendo o quanto é uma bobagem gigantesca esse negócio de depositar esperanças em um novo ano, e sabendo também que se você começa fazendo merda, você vai terminar fazendo merda. Bom, assim dizem.

Talvez eu devesse dizer que eu desisti de um sonho pela metade, dizer que não sei como vou fazer para realizar a outra metade que sobrou. Melhor seria dizer que eu desisti. Mas dizer que eu desisti me obrigaria a dizer também o quanto [e vocês não podem nem imaginar realmente O QUANTO] isso me deixa triste.

E que eu tenho que continuar disfarçando, porque as pessoas que eu amo e que me desejam o bem, e que sempre estão me apoiando nas melhores e piores decisões, bem... elas me convenceram a desistir.

Pois bem.

Vou começar então falando que eu desisti. Desisti dessa bobagem toda de sofrer, de chorar, de "oh meu deus, coitadinha de mim, como sou infeliz, mimimi". Desisti de ficar compartilhando tudo o que eu desejo, porque sempre vai ter alguém [e como esse "alguém" me surpreende] que vai acabar me convencendo que eu sou idiota e deveria seguir outro caminho.

Desisti de correr atrás de todos os que, aparentemente, não estão muito aí pro que eu acho, faço, penso, sinto. Ou não. Acredito que disso eu ainda não desisti, mas ó. Falta pouco pra isso.

Desisti de achar sempre que todos são melhores que eu. Desisti dessa disputa idiota de "eu sou mais que você". Você é mais do que eu, olha, QUE BOM! Parabéns, felicidade, agora... posso seguir no meu ritmo? Devagar e sempre. Eu sempre fui assim. Sempre serei. Não tenho como mudar isso da noite pro dia. De um ano pro outro. De uma década pra outra.

Desisti de explicar. Então se você entendeu, ótimo. Senão, passa pro próximo.

Eu passei pra próxima.

6 comentários:

Andarilho disse...

Desisto.

jujudeblu disse...

Olha,
Eu não sei exatamente de tudo o que vc desistiu, até porque essas coisas que vc descreveu são muito subjetivas e eu estou lendo pelo blog apenas, ou seja, vc não me falou nada pessoalmente, não ficou explicando e argumentando.

O que eu quero dizer com isto?

Que vc terá que retomar tudo isso e me explicar tim tim por tim tim, que eu não engulo fácil essas coisas de "desisti" não! :P

BjuS!

Ana P. disse...

Andarilho: faz bem você.

Ju: resumidamente é assim: eu tinha planos para sair da Caixa esse ano e estava super empolgada mesmo e FELIZ, porque eu iria começar a trabalhar com jornalismo, que é o que eu gosto de fazer e tals.

Daí que o sonho acabou, não vou mais sair da Caixa, pq né, muita gente me abriu o olho e me fez ver que esse negócio de sonho e ser feliz é muita bobagem, que o importante mesmo é o dinheiro.

O que mais dói num é isso, sabe? Num é desistir do sonho e tals. O que mais dói é ver gente que você SEMPRE APOIOU, independente do que fosse, gente que você sempre ajudou a seguir em frente, mesmo que você não concordasse muito... bom, ESSA GENTE vira pra mim e diz que sonho é bobagem.

É. Isso que mais dói. Mas né? Eu vou fazer curso de teatro esse ano, e acabo aprimorando essa minha falsidade toda em fingir que tá tudo bem.

Will disse...

2010 vai ser bom, se você desistir de tudo isso!

Ana disse...

Aêeeee....boa desistência pra vc, xará! Mais axé e menos exu, querida!
Desejo um 2010 do caralho pra nós...e fim!
beijão

Gerundino disse...

Ter esperança é o primeiro passo para a decepção.