terça-feira, 2 de março de 2010

Be.

Das coisas que não tem explicação é o cansar de ser quem você é. Quer dizer, você nasceu, ok, quando você era criança você não tinha muita noção do que era ser.

Aliás, hoje, nós temos noção do que é ser? O que somos e tudo mais?

Não. Mas um dia você tá revirando de sono na cama, porém sem a menor condições de dormir por conta de N pensamentos que não vem ao caso agora. Tá.

Não consigo dormir, cansei de ser assim, cansei de ser quem eu sou. Mas não é algo que você muda do dia pra noite, a pessoa que você é. No meu caso, são 26 anos de construção de toda uma personalidade, e olha, arrisco dizer que não tô nem na metade da obra. E provavelmente eu morrerei sem vê-la concluída. Que taí uma pessoa difícil de ser: eu.

Que eu me importo muito com as coisas, mas me sinto numa obrigação moral de fingir que nada me abala, sabe-se lá porque. E sabe-se lá também desde quando eu comecei com isso. Não adianta, eu não sei te dizer porque. Eu só sei dizer que eu SOU assim. E esse SER assim às vezes me irrita, e me faz implorar pra não ser mais assim, daí eu vou e finjo que tá tudo bem, que a vida é bonita e podemos continuar.

Não, olha, não é bem assim. Porque em outras horas eu sou super emotiva, e me importo com tudo o que todo mundo fala pra mim, ou de mim, e me importo se você tá bem, se você tá feliz, se você tá sofrendo, me importo muito. E não consigo dormir porque você tá passando por algum problema, ou porque EU TENHO UM PROBLEMA COM VOCÊ QUE EU NÃO CONSIGO RESOLVER. Mas aí na hora que você me perguntar [caso você seja dessas pessoas que perguntam e tals], eu vou dizer que tá tudo de boa, e o jogo de ontem, você viu?

Que aí eu vou voltar pra minha vibe nada-me-abala, tô-de-boa.

A questão central de hoje, e de muitos dias a contar de hoje e de quase todos os dias desde sempre é: eu quero muito falar, mas tenho medo de falar. Eu tenho medo das pessoas não entenderem o que eu quero dizer, eu tenho medo de falar A e elas compreenderem Z. Medo de perder por causa disso, e eu já perdi gente demais na minha vida. Mentira, eu finjo que não perdi, mas tá. Não desvirtuando do assunto.

Sim, se eu tivesse a opção de mudar, de ser outra pessoa, de ser diferente, eu seria diferente. Eu gostaria de ser diferente, porque ser quem eu sou é muito chato, cansativo, repetitivo e enfadonho. E eu sou capaz de apostar que praticamente todo mundo que ler isso aqui gostaria de ser outra coisa que não o que é hoje. Só que é importante se amar e aceitar as coisas como Deus manda, blá blá blá.

Então aí a gente vai seguindo nesse mar de insatisfação, e se arrependendo e dizendo que não se arrepende porque é isso que a convenção social nos diz. Seguimos sofrendo porque temos de sofrer ou sorrindo porque temos de sorrir, mas sem saber se é isso que queremos. Sem saber o que somos agora, mas sendo de qualquer forma, porque o mundo taí pra isso.

Porque apesar da felicidade plena não existir, eu acho que, no mínimo, deveríamos ser felizes com quem somos hoje. Com o que somos hoje.

E se reclamar não adianta de nada, o melhor é ficar quieto, criar um blog pra falar merda, tomar uma vodka e dormir, que amanhã é outro dia para ser a mesma merda de sempre.

11 comentários:

Andarilho disse...

Ok, agora é oficial. Tu tá de tpm.

Ana P. disse...

Não, não, Andarilho... eu estou me revelando. Neurótica as usual, mas nervosa nem tanto.

Acho que meu humor realmente muda muito. É só sinal da neurose, mesmo, não da TPM. Que eu até tenho, mas que não me deixa mais ou menos estranha do que eu já sou!

Andarilho disse...

Toda mulher de tpm fala que não é tpm. Fato.

Ana P. disse...

Eu até explanaria aqui os motivos pelos quais eu não posso estar em TPM, mas sei lá, ambiente público demais, HAHAHAHAHAHAHAHA!

Andarilho disse...

Vixe! Qdo uma mulher me diz que não pode estar de tpm, eu logo penso: pronto, embarrigou!

Hauhauhauhau

Carina. disse...

"É, é quase tudo que sonhei. E eu sou quase aquilo que sempre evitei... E falhei, sim, falhei..."

Beatrix Kiddo! disse...

Eu queria vir aqui e botar um comentário legalzinho e talz, mas nem rola. E eu acho que dessa vez não me encaixo, pq nem sei quem eu sou ainda.

Márci disse...

Aaaaarrrghh...

É assim mesmo...fácil falar de nós, e difícil ser quem somos...
Ninguém nunca tá satisfeito, acho pretenciosa a pessoa que diz que não gostaria de mudar pelo menos 1 coisinha em seu jeito, em sua personalidade.

Mas fazer o quê ? Trabalhar para construir um ser que sejamos mais orgulhosos, e ainda assim...sempre vai ter o que melhorar.

Ana disse...

É O Q TEM PRA HOJE, XARÁ! e ASSIM...NADA NA VIDA É TÃO PERFEITO QUE CAIBA NAS NOSSAS EXPECTATIVAS! BOM, NEM NÓS MESMOS...SE VC TEM POR OBJETIVO MUDAR ESSA VIBE DE 'NÃO TÔ NEM AÍ', SUGIRO QUE COMECE DEGRINGOLANDO O ORGULHO E TENTANDO SE ACEITAR COMO É.
E, QUE OUSE JOGAR A PRIMEIRA PEDRA QUEM FOR O PERFEITÃO!
BEIJO

Ana P. disse...

Andarilho: não, nem tô grávida, mas pelo menos num sou mais virgem, hihihihihihi!

Carina.: quando eu penso nessas coisas de ser quem eu sou, falhar e tudo mais, eu só lembro de Tabacaria. É.

Beatrix: então você se encaixa, porque somos duas, eu na verdade sou alguém que muda toda hora e isso mto me irrita.

Má: é só aquelas horas que cansa ficar lutando pra ser melhor e tals. Porque tem horas que você pensa "caralho, mas eu já sou muito boa e tals, pq eu continuo me odiando?" E sei lá, eu nem me odeio, mas tem horas que eu me odeio por ser como sou. Cê deve me entender.

Ana: É o que tem pra hoje. É uma das frases que eu repito todos os dias. Vem junto com o "fica tranquila" e "tá bom". Porque tem horas que tudo o que a gente pode fazer é relaxar... e se conformar.

Mas o conformismo também me irrita.

Gerundino disse...

TPM eh??? hahahahaha... até perdi a linha de pensamente, hahaha.

ok, ok.. vamos lá. Tipo... eh tão foda ser eu tbm, tipo medo... velho... medo eh uma coisa que vc perde com o tempo, a questão eh basicamente vc começar a se jogar pra peder o medo, vc vai quebrar a cara zilhares de vezes (o que eh zilhares), mas no fim vc pede o medo...


ok.. esse comentário foi inutil vindo de alguem como eu, mas td bem.