quinta-feira, 14 de outubro de 2010

e se eu for o primeiro a prever e poder desistir do que for dar errado?

Desculpe-me por não conseguir compreender o que eu mesma sinto. Veja, eu já tive problemas em confundir sentimentos. Eu já tive problemas em achar que sentia uma coisa e depois descobrir que não era nada daquilo. Ou descobrir que era sim, algo daquilo, mas que meu coração já está tão acostumado a ser rejeitado, que eu prefiro acreditar que estou confundindo as coisas, e que não era nada daquilo que eu imaginava. Você bem sabe, eu estou ficando expert nisso.

Desculpe-me se nessa minha confusão, eu acabo te confundindo. Acabo demonstrando ser uma pessoa e quando você vai ver, eu era muito diferente de todas as promessas que eu fiz. Desculpe-me por fazer a desencanada e ficar encanada em você. Não era algo que eu esperava, mas é o que eu sempre faço.

Complicado, né? Mas comigo é sempre assim, sempre complicado, ainda mais quando eu não sei exatamente o que eu espero. Eu não sei exatamente o que eu espero de você, mas isso não é o pior, sabe? A pior parte é não saber o que você espera de mim. Não saber exatamente quais palavras você espera que eu diga, se é que você espera que eu diga alguma coisa. Não saber se você espera por mim tanto quanto eu espero por você.

Seria bom saber se só eu confundo as coisas desse jeito. Acho que sim. Eu gosto de acreditar que eu sou a única idiota dessa história, a única ridícula, a única que pensa que possa existir algo de diferente. Porque no fundo eu sempre fui uma fingidora. Então você um dia vai me dizer que... sei lá, casou! E eu vou te dar os parabéns, e vou ficar super feliz por você, e vou apoiar essa sua escolha e perguntar quando virão os filhos. Tudo isso com um sorriso no rosto e um coração destruído.

Mas eu divaguei.

Eu sei que pra você pode não ser fácil me compreender, mas não se sinta mal por isso. Eu convivo comigo mesma há quase 27 anos e também não me entendo. Me acho difícil. E por eu ser tão difícil, eu não entendo como você consegue arrancar meu sorriso de forma tão simples. Não entendo como você consegue me fazer parar de pensar nas contas a pagar, no salário que não caiu, na reforma da casa, nas preocupações com família e amigos, na terapia que eu faltei, no TCC que eu ainda não sei nem O QUE eu vou fazer, nos mineiros chilenos, nas eleições... você me faz parar de pensar em tudo isso, para me lembrar que pensou em mim no meio do dia.

Ou assim eu gosto de ver as coisas.

Então me desculpe, por favor. Desculpe por eu não saber quem eu sou, o que eu espero, pra onde eu vou, do que eu preciso, por que eu insisto.

Desculpe-me por esperar que você me ajudasse a responder essas perguntas.

4 comentários:

Andarilho disse...

Esse tipo de pergunta, só vc responde. E sem ajuda de ninguém. Pq se alguém te ajudar muito nessa, provavelmente será uma resposta errada.

Ana P. disse...

Completamente sozinha? Tô tentando há 26 anos e não consigo. Queria tentar um caminho diferente agora.

Ou não, eu sei lá.

Eu queria que tudo fosse mto, mas mto fácil. Não pensar, não ter consciência, seria a única forma de facilitar pra mim.

Ana disse...

E se vc parar de procurar respostas, não ligar para as perguntas e deixar as coisas rolarem à sua volta? Deixar o sorriso se abrir qdo quer, as lágrimas caírem sem desfarçar...ser boba, dançar à toa????
Pense menos, xará....
beijo

Van´s disse...

Você ainda nao percebeu. Mas as principais respostas estao dentro de vc. Nesse vc que começa a renascer, sabe? Aí dentro? E outras tantas respostas virão em pequenos gestos que passarão sem q vc perceba. Amo-te!