sexta-feira, 13 de março de 2009

"Não era pra ser"

Mês passado fui ao teatro com minha mana. Foi legal, porque nós resolvemos assistir uma peça de mulherzinha: "Os Homens São de Marte e é pra Lá que Eu Vou", com Mônica Martelli. Digo peça de mulherzinha porque são aquelas histórias típicas, no estilo Sex and the City [seriado do qual eu sou fã, por falar nisso]. Pois bem. Esses estilos de peças, filmes e seriados [Confissões de Mulheres de 30, Bridget Jones, Desperate Housewives e por aí] têm em comum um ponto interessante: mulheres que chegam na faixa dos 35 anos, e continuam solteiras, por mais bem resolvidas profissionalmente, tendem a ser um tanto quanto desesperadas no quesito 'homens'.

Sim, é uma generalização. E não, NÃO ADIANTA mulher nenhuma vir me falar que é machismo da minha parte: não é. Por mais bem resolvida que uma mulher seja, vai chegar um dia em que ela vai sentir falta de um amor ao seu lado. Essa classe de mulheres bem resolvidas profissionalmente, e solteiras desesperadas, se concentram mais na faixa dos 35 anos, e não é à toa. Nossa sociedade nos impõe, mesmo com toda a luta feminista e blá blé blí, que a mulher precisa casar, ter filhos, cuidar da família, e não esquecer da carreira.

Depois dos 35, as chances de ter uma gravidez bem sucedida e sem riscos começam a diminuir. E a não ser que você seja daquelas que acreditam que uma criança não precisa de pai, para fazer um filho você ainda vai precisar da ajuda de um homem [até mesmo porque, eu que não gosto de criança, acho que a graça toda de engravidar está justamente nas tentativas]. Talvez essa seja a fonte da crise dos 35: "preciso de um homem pra engravidar, ter um filho e cuidar da família, sem esquecer de como minha carreira é importante".

E é mais ou menos disso que a peça da Mônica fala: uma mulher de 35 anos, profissionalmente bem sucedida, que está a procura de um homem para, finalmente, se acertar na vida. A graça da peça está justamente nos infortúnios que ela passa ao decorrer dessa busca. Infortúnio, aliás, que todas nós mulheres conhecemos bem, independente da idade: aquele homem que nos promete mundos e fundos, mas que, na verdade, só quer sexo por uma ou no máximo duas noites; o homem que não cresce, que a gente acha super bonito no começo, mas que chega uma hora que um pouco de maturidade faz falta; aquela paixonite pelo amigo lindo, inteligente, bom partido e... gay!

Em cada uma dessas aventuras mal vividas, toda mulher se repete sempre o mesmo mantra: não era pra ser. Quando a gente se convence disso, fica mais fácil evitar o sofrimento de cada relacionamento fracassado. Se nos convencermos que não era pra ser, a gente entende que a culpa do fim do relacionamento não é nossa, nem dele. Simplesmente não estava na hora certa, no momento certo dos dois.

Mas mulheres [e isso eu digo pra mim mesma em cada momento de solidão que se abate em mim, geralmente na TPM]: não desistam! Eu ainda acredito que existem relacionamentos que podem dar certo, que podem ter um começo feliz, e nenhuma espécie de final.

Quanto à peça: MARAVILHOSA! Ri muito, me reconheci em N situações, gravei vários mantras ["eu NÃO VOU DAR PRA ESSE HOMEM!"; "não era pra ser", entre outros], e eu recomendaria demais, para homens e mulheres, se não fosse pelo detalhe de que a peça saiu de cartaz no final de fevereiro.

Para quem curte o tema, ainda tem o "Confissões das Mulheres de 30", em cartaz em São Paulo. Para quem não curte o tema: FOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOODAAAAAAAAAAAAA-SEEEEEE!!!! Vá assistir peças cults, então. Que não devem em nada para comédias, mas... eu às vezes preciso de um descanso!

8 comentários:

koster disse...

Acham que é machismo de minha parte... mas só um comentário sobre mulheres verdadeiro em minha opinião...

"mulheres depois que têm filhos deveriam largar a carreira profissional e se dedicar ao filho mais que tudo"

O homem tem parte claro, óbivio, eu sei, mas a mulher é a MÃE, tem influência maior, e deve estar em apoio a criança... Depois dos 18 anos... ela volta na sua carreira

Nem sei se é válido o comentário pelo post, mas é minha opinião.

Piero M. disse...

dois pontos.

Quanto aos acasos, os "não era pra ser" repetitivos, fique tranquila, isso não acontece só com as mulheres nos dias de hoje. Homens também sofrem com isso.

Quanto a filhos, o mais importante é que ele tenha pais presentes. Acho que isso define bem a minha opinião.

Abraço!

Andarilho disse...

Poxa, agora eu fiquei com uma baita vontade de ver essa peça...

Se bem que as chances de uma peça dessas vir aqui pra Floripa é beeem reduzida.

E quanto ao 'não era pra ser', eu não acredito nisso. A culpa foi dos dois, sim, hauhauhauha.

Vans disse...

Hehehehe!
Caraca, fiquei eu aqui pensando ... putz, faltam 5 anos! Caraaaaaa ... que merda! rs
Eu acho que frases como "não era pra ser", "ele não me merece", ou qq coisa do tipo, são apenas para aliviar o sofrimento e esquecermos de olhar o que temos feito de errado. Pode parecer clichê, mas olhar pra si e ver o que vc pode fazer para melhorar, em todos aspectos, é uma ótima pedida para não ficarmos presos aos mesmos erros.
E claro ... que ele SÓ QUER TE COMER, always! rs

Bitocas!

Ana P. disse...

Ai, ai, gente... vcs me matam, sério!

Koster: sim, é machismo da sua parte. Quando eu nasci, minha mãe já trampava como func. pública. Portanto, comigo ela só ficou no período de licença-maternidade, e nas férias e licenças-prêmio às quais ela tivesse direito. Tirando o fato de eu não ser uma pessoa mto amiga de meus irmãos, nada é mto diferente em nossa vida, pelo contrário: tem mta mãe que fica tempo integral com os filhos, e mesmo assim, nada sabem sobre eles. Então... num vejo a conexão. A não ser que vc tenha sentido falta disso. Aí é algo que vc pode procurar sua mãe [ou um psicólogo] para resolver.

Piero: na verdade, eu não sofro mais com os "não era pra ser". Eu AGRADEÇO por não ter sido. Porque sério, eu só me interesso por cara esquisito. Cara MUITO esquisito. Então, quando surgir um que não seja esquisito, sei que vai ser! E vc resumiu bem: meus pais sempre trabalharam, mas sempre foram pais presentes. Disso não posso reclamar. Eu é que sempre fui mto fechada mesmo.

Andarilho: não desista, não sei aonde vai ser a próxima temporada, vai que cola de ser em um lugar aí por perto? Ou... quando você estiver de férias, visite uma cidade onde role esses espetáculos, tipo... SÃO PAULO! *_*

Vans: geralmente nesses relacionamentos que a gente diz "não era pra ser", os erros são os mesmos. Por mais que a gente olhe pra eles e prometa nunca mais cometê-los, acaba sempre fazendo a mesma merda. E no ademais, tem relacionamento que simplesmente não tem erro, como na peça, o cara que só queria comer: não era pra ser. Não teve erro... bom, teve, como sempre o mantra "EU NÃO VOU DAR PRA ESSE CARA" não funcionou... hauhauhauhauhauhuahuahuahua!

Gente, adoooooooro quando meus comentários viram um outro post!

Márci disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH !

Pera aew...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH !

A.D.O.R.O suas respostas aos coments...é amigaaaa....mts vezes vc tem que agradecer meeeeeesmo...nobody deserves drama.

ahahahahahahahahhahahahahahahah !

Pera aew...piada interna.

Ana P. disse...

Má: e eu, adooooooro quando a gente se entende sem precisar falar mais nada... mas é isso, miga, NOBODY DESERVES DRAMA!!!

Não era pra ser, não pra mim: tem gente que curte umas paradas que eu realmente acho bem toscas! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

E fechemos as piadas internas for now...

neutron disse...

eu ia falar alguma coisa, mas me perdi.

entra no msn?