segunda-feira, 31 de maio de 2010

Sometimes, too much happiness can cause death.

A dotôra vira e fala: "precisamos descobrir de onde vem essa necessidade tão grande que você tem de agradar aos outros".

HAHAHAHA. Precisamos, amica. Precisamos. Como se eu não tivesse passado os últimos 26 anos de vida pensando nessa enorme necessidade de fazer todo mundo [menos eu] feliz.

"Ask most people what they want out of life, and the answer's simple... To be happy.

Maybe it's this expectation, though, the wanting to be happy that just keeps us from ever getting there. Maybe the more we try and will ourselves, the more confused we get to the point where we don't recognize ourselves.

Instead, we just keep smiling... Trying like hell to be the happy people we wish we were.

Pergunte à maioria das pessoas o que elas querem da vida, e a resposta é simples... ser feliz.

No entanto, talvez seja essa expectativa, esse desejo de ser feliz que nos afasta de realmente ser feliz. Talvez quanto mais a gente tenta e se obriga, mais confusos ficamos, a ponto de não nos reconhecermos mais.

Ao invés disso, a gente continua sorrindo... tentando de tudo para sermos as pessoas felizes que queríamos ser."

Meredith Grey. Eu te dedico. [Grey's Anatomy, 6x22]

11 comentários:

Andarilho disse...

Depois de 26 anos, vc ainda não descobriu que ninguém faz qualquer outro feliz?

Felicidade é como Lost, não tem um fim, mas o que justifica é a jornada, hauhuahauhua.

Albuq disse...

Oi Ana!

Acredito que a gente deixa de ser feliz quando idealiza ou quando determinar ser feliz "quando", "se", "Com", "para"... acredito que a gente tem que começar a ver a felicidade hoje, nos detalhes, na diferença, no que nos faz bem!
Acho que é por aí...

bjs,

Marguerita disse...

Boa-noite!
Achei teu blog e preciso desabafar:
foi uma agradável surpresa!
Também queria comentar que assisti este filme e adorei os monstrinhos!

E que escrevi sobre felicidade [agora há pouco]e estou nesta "vibe".
Rs!

Enfim, add nos meus favoritos.

Ah!

Saudações, Marguerita.

Beatrix Kiddo! disse...

Ai é triste querer agradar todo mundo. Eu queria que todo mundo me achasse tão legal, fico me esforçando para parecer legal, mas só me fodo. Sério, só.me.fodo.

E eu não sei te ensinar a ser feliz, ninguém sabe isso. Eu não sei o que é ser feliz tb. E nem sei dizer se eu sou ou não feliz. Nem se já cheguei a ser. É uma análise muito difícil. Acho que você deveria parar de tentar e só viver. Ou não.

Gerundino disse...

Eu não assisti um dia de lost, mas eu vi comentários sobre o ultimo episódio... sendo assim fui obrigado a concordar com o andarilho.

neutron disse...

Que saudades dessa caixinha de comentários. E de você, também!

Vamos ser felizes juntos? Você com a breja e eu, com a Sprite?

Aline Bottcher disse...

Ser feliz é consequecia, já me disseram uma vez... do que, eu até hj me pergunto...

Éverton Vidal Azevedo disse...

Eu acho que a gente encontra a felicidade nao buscando a felicidade. A gente se topa com ela tentando fazer coisas boas e certas (ainda que seja meio relativo saber disso), nao desperdiçando algumas oportunidades, e fazendo coisas que gostamos também (e nao somente viver pra agradar aos outros, ainda que isos nao seja exatamente algo mal).

Também acho que a felicidade depende mais do estado interno do que de coisas externas.

Eu acho que é por aí e vou vivendo. Mas essa felicidade "plena" acho que nao rola. A vida é feita de altos e baixos mesmos.

Ana P. disse...

Apareceu um monte de gente nova, fiquei até feliz!

Andarilho: eu só tenho 26 anos no RG, a mente ainda é de uma criança recém-nascida, pq mesmo as pequenas que já sabem falar são mais espertas do que eu.

Albuq: idealizar a felicidade é um mal. Eu acredito mais naquela de ter momentos felizes do que na de ser feliz. OU não. Vai saber! Besitos!

Marguerita: ver seu nome me deu vontade de beber! HAHAHAHAHAHAHA! Eu ainda não assisti ao filme, mas achei a imagem tudo. Verei seu blog agora que tô com "tempo", hhehehehhee! Valeu a visita!

Beatrix: eu queria ser tão legal quanto os outros acham que eu sou. Mas né, ser feliz, blá blá blá, é tudo tão relativo. Quando eu bebo, eu fico feliz. Ces't la vie. [peguei sua mania de colocar música no título dos posts, me aguenta agora]

Gerundino: vc anda sumido.

Neutron: quero te dar um abraço embriagado.

Aline: cara, seu comentário me deixou mais pensativa do que nunca. Consequência DO QUE? Poisé, menina... to procurando o 'que'.

Evérton: se a felicidade plena não existe, pq o mundo vende isso pra gente a toda hora? E nem tô falando da propaganda e tals. É o mundo! Sabe, olhar à sua volta e ter a levíssima impressão de que todos, TODOS estão realizados e você aí, nessa bosta?

Quer dizer, não você, to falando de mim, kkkkkkkkkkkkkk!! Mas enfim, eu não sou essa pessoa infeliz que aparento aqui no blog, eu só tenho maus momentos, que eu prefiro deixar guardados aqui do que propagá-los ao resto da humanidade.

Isso ou eu minto mto bem.

Carina. disse...

Ah, sei lá. Eu li o texto e os comentários e tudo, e vi 'Onde vivem os monstros' e tal, mas só consegui lembrar que esses dias eu me ffffuuuuuuuu querendo ajudar num trabalho em grupo na faculdade. Dei umas ideias, sugeri referências. No fim das contas? Fui taxada de " metidarrogantepretensiosa, dá licença que eu sou mais inteligente que você, ok?"

Pô...e eu querendo...ajudar os outros, melhorar o trabalho, nossa nota, nossa pesquisa... Não adianta nada, não adianta querer ser legal.

Carina. disse...

Desvirtuei o assunto com meus probleminhas pessoais. Que bom, Carina. QUEBOM.